Agricultura Natural

A agricultura natural surgiu no Japão, em 1935. Seu fundador foi Mokiti Okada, que propôs um sistema de produção agrícola que imitasse a natureza:

A harmonia e prosperidade entre os seres vivos é fruto da conservação do ambiente natural, a partir da obediência às leis da natureza.

Já na década de 1930, Mokiti Okada alertava para o uso indiscriminado de agrotóxicos e suas consequências para o meio ambiente.

Com o objetivo de preservar a qualidade do solo e dos alimentos, a diversidade e o equilíbrio biológico e contribuir para a elevação da qualidade de vida humana, Mokiti Okada fundou e desenvolveu este método agrícola sustentável. Alertou para as consequências das práticas agrícolas inadequadas, sobretudo sobre o uso indiscriminado de agrotóxicos.

Na agricultura natural há pouca movimentação do solo. Esta é substituída por roçadas, cobertura verde, semeaduras consorciadas de cereais com leguminosas ou coquetéis de hortaliças e ervas aromáticas, integradas a cultivos de frutas perenes.

Outras práticas sustentáveis são utilizadas nesta e nas demais vertentes da agroecologia; mas, diferentemente dos outros sistemas, a agricultura natural não emprega esterco animal e faz uso de compostos apenas vegetais, que conservam o equilíbrio do solo e permitem a reciclagem dos nutrientes para o desenvolvimento das plantas.