Água

O conteúdo aqui apresentado reproduz uma parte do Caderno de Educação Ambiental número 14, elaborado pela Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, disponível em: https://www.ambiente.sp.gov.br/cea/category/biblioteca-cea/.

O ciclo da água

O ciclo hidrológico é o moto perpétuo da água entre oceanos, atmosfera e continentes, no processo constante de renovação quantitativa e qualitativa da água, em períodos variáveis, de horas a milênios – de uma altura de15 quilômetros acima da superfície, à profundidade de quase cinco quilômetros – para devolver ao planeta a água, doce, livre de impurezas e possibilitar a vida.

O volume de água do planeta é fixo. Estima-se que nas formas líquida e sólida alcance 1,4 bilhão de quilômetros cúbicos.

Acionada pelo calor do Sol, a água evapora dos oceanos, o maior reservatório do planeta, e dos cursos d’água superficiais, do solo, da neve e gelo, dos seres vivos e da vegetação, mistura-se com o ar, é empurrada pelos ventos em torno da Terra, sobe e se condensa em nuvens. Sob o efeito da elevação da temperatura ou da altitude, precipita-se como orvalho, neve, granizo, geada, chuva, nevoeiro e escoa dos lugares mais altos para os mais baixos. Parte penetra no solo e parte se junta aos fluxos dos rios que retornam aos oceanos.

Sem princípio nem fim, o ciclo hidrológico é eterno.

Água e vida

Das águas do planeta, apenas 2,5% são doces. Desse volume, a maior parte (68,9%) forma as calotas polares, geleiras e neves eternas que cobrem os cumes das montanhas mais altas e os aquíferos profundos da Antártica e Groenlândia, inacessíveis a milhões de pessoas que habitam essas regiões. As águas subterrâneas (29,9%) ocupam o segundo lugar em volume no ciclo hidrológico. A umidade dos solos e as águas dos pântanos representam perto de 0,9% do total da água doce; os rios e lagos somam apenas 0,3%. Os oceanos contêm 97,5% do total da água da Terra e cobrem dois terços do planeta com água salgada.

Para o consumo público e as atividades econômicas utilizam-se as águas emersas ou as águas interiores dos continentes e ilhas, captadas dos rios, lagos e represas, em constante renovação pela força das chuvas, e os aquíferos subterrâneos, que abastecem dois terços da população mundial.

Água e recurso hídrico

itaipuO termo água refere-se, em geral, ao recurso natural, desvinculado de qualquer uso. Todo recurso hídrico é água, mas nem toda água é recurso hídrico; nem sempre seu uso possui viabilidade econômica. A apropriação da água para atingir um fim nas atividades econômicas e no trabalho envolve sua transformação em bem econômico, que passa a ser considerado como recurso hídrico.

Água e recurso hídrico são termos comumente empregados com o mesmo significado. Para o jurista Cid Tomanik Pompeu, água é gênero, é o elemento natural; recurso hídrico é espécie, é a água como bem econômico. Os textos legais privilegiam recursos hídricos, sinalizando o interesse econômico de exploração e aproveitamento na política de recursos hídricos, gestão de recursos hídricos, como é o caso da Lei Estadual 7.663/91, que cria o Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo.

Tópicos:

1. Água no mundo 

2. Águas no Brasil