Águas no Brasil

Regiões hidrográficas

Para o planejamento dos recursos hídricos, o território brasileiro está dividido em 12 regiões hidrográficas:

  1. Amazônica
  2. Atlântico Leste
  3. Atlântico Nordeste Ocidental
  4. Atlântico Nordeste Oriental
  5. Atlântico Sudeste
  6. Atlântico Sul
  7. Paraguai
  8. Paraná
  9. Parnaíba
  10. São Francisco
  11. Tocantins-Araguaia
  12. Uruguai

Região hidrográfica é o espaço compreendido por uma bacia, grupo de bacias ou sub-bacias hidrográficas contíguas, com características naturais, sociais e econômicas homogêneas ou similares.

Águas superficiais

cruzeiro-amazonas
Demonstração da imensidão do Rio Amazonas: um navio cruzeiro navegando por suas águas.

A vazão média anual dos rios em território brasileiro é de 180 m³/s, o que corresponde a 12% da disponibilidade de água superficial no mundo. A distribuição desse imenso potencial no território é irregular. A Região Hidrográfica Amazônica concentra 73,6% dos recursos hídricos.

Águas subterrâneas

No ciclo hidrológico o volume armazenado de águas subterrâneas é cem vezes superior ao volume das águas dos rios e lagos. Excluídas as calotas polares e geleiras, as águas subterrâneas contribuem com 95% da água doce do planeta.

Apesar de importantes, as águas subterrâneas são cercadas de mistério, devido à sua forma de ocorrência que ninguém vê. No imaginário coletivo, essas águas circulam como rios subterrâneos. Na realidade, a água subterrânea é armazenada nos poros e fissuras das rochas por onde se move lentamente, em comparação com a água dos rios. Em um rio rápido, a água pode mover-se à velocidade de um metro por segundo, enquanto a velocidade de circulação da água subterrânea é da ordem de um metro por dia. Considerando que um dia tem 86.400 segundos, a diferença de escala de velocidade de circulação é impressionante.

Outra diferença notável é o tempo de renovação da água dos rios, de algumas semanas, ao passo que as águas subterrâneas se renovam na escala de dezenas a centenas de anos.

O volume de água armazenado no subsolo torna a água subterrânea uma reserva estratégica confiável a longo prazo, sem as grandes oscilações que se observam nos rios entre os períodos seco e chuvoso.

Na engrenagem do ciclo hidrológico, a água subterrânea tem a função natural de alimentar o fluxo de base dos rios. Há, portanto, íntima relação entre as águas superfi ciais e subterrâneas. Além dessa função ecológica essencial, as águas subterrâneas são aproveitadas em todos os usos.

Usos da água

A água tem múltiplos usos. Abastece as populações, irriga o solo para produzir alimentos, é matéria prima na produção industrial, gera energia hidroelétrica, mantém a navegação fluvial, proporciona a recreação e o lazer e sustenta o equilíbrio dos ecossistemas. Água é sinônimo de vida. Quando falta água em tempo de seca ou quando a água escasseia por uso excessivo ou desperdício, a atividade econômica fica prejudicada e as condições de vida pioram. É por isso que o uso equilibrado da água é uma exigência de interesse geral.

No Brasil, os usos mais importantes da água, em porcentagem do volume total consumido, são:

  1. irrigação, 69%;
  2. consumo animal, 12%;
  3. consumo urbano, 10%;
  4. consumo industrial, 7%;
  5. e consumo rural, 2%.

Estes valores são diferenciados por região ou bacia hidrográfica, em função da densidade de população e da atividade econômica.